CNE - Agrupamento de Escuteiros 555

A página do agrupamento de escuteiros da nossa paróquia.

Siga o nosso agrupamento no facebook

A história do Agrupamento

Fundação do agrupamento

Era assim oficializada a filiação do nosso Agrupamento, fundado em 25 de Março de 1979, na Ordem de Serviço do CNE nº 370.

No entanto tudo começou uns anos antes, em Outubro/Novembro de 1975, quando apenas uma patrulha Exploradores Juniores, acompanhada por um pequeno grupo de Caminheiros e Dirigentes decidem vir para as instalações, bastante recentes da Igreja Paroquial de Almada.

Nesta altura existia em Almada o Agrupamento 70 com dois grupos Juniores, o 31 e o 17. Foi assim o grupo 17 a mudar de sede, ficando no entanto a pertencer ao Agrup. 70, que por sua vez pertencia à Região de Lisboa, pois que ainda não tinha sido criada a Diocese de Setúbal, e em virtude disso a Região de Setúbal também não existia.

Em Dezembro de 1975 deu-se o grande incremento do Grupo 17 com a admissão de 25 aspirantes a juniores que, em conjunto com os Juniores já fardados, formam 6 patrulhas , a Leopardo, a Falcão, a Javali a Lobo, a Chacal e a Morcego. Todas estas Patrulhas tinham os seus cantos na actual sala dos Juniores, e funcionava a 1ª Companhia de Guias de Almada na sala que é hoje dos Pioneiros.

É nesta altura que é criado o famoso Grito do Agrupamento - O KIDRIX

As primeiras grandes actividades realizam-se no período de férias de Páscoa de 1976, uma no Campo do AEP e outra na Quinta da Comenda.

Os dois anos que se seguiram foram dois anos de muito trabalho de Patrulhas, muita técnica escutista e muito espirito de grupo e de união. Todos aqueles que viveram estes anos certamente nunca esquecerão estes momentos e as amizades que se criaram.

Em 1978 os Juniores mais velhos passam a Exploradores Seniores (agora denominados Pioneiros) formando 3 equipes, a Jacques Costeau, a Daguerre e a Amstrong. Entretanto foram admitidos mais Juniores, e o número de elementos já começava a justificar a criação de um Agrupamento, começando a chefia a dar os primeiros passos nesse sentido. Também nesse ano participamos com uma equipe Sénior, duas Juniores e alguns Caminheiros em Comissão de Serviço ao Acampamento Nacional de Ilhavo. É nesse Nacional que pela primeira vez se fala na criação da IIIª Secção, a dos Exploradores Seniores, e em Coeducação. Como curiosidade neste ACANAC deu-se o grande encontro dos "lenços azuis" pois que foi a primeira vez que se encontraram num Nacional. Na altura não existia um lenço azul oficial pelo que era grande a diversidade de tons de azul neste ACANAC.

Em 1979 estavam reunidas as condições necessárias para um agrupamento e em 25 de Março desse ano é filiado o Agrupamento 555 com o Grupo Júnior 17 e o Clã 6.

Eram dirigentes nessa altura o António Lopes, o Max, e o Zé Quim. Reza a história que o Chefe Lopes aguardou pacientemente a filiação de mais alguns agrupamentos, para dar entrada dos papéis apenas no momento preciso para conseguirmos o número 555.

É também desta época a nossa primeira participação num Acampamento Regional. Foi no campo do AEP na Costa da Caparica.

No ano seguinte em 1980 foi filiada a Alcateia 22 (através da OSN n.º 371). É ainda neste ano que uma equipe Sénior feminina do Agrupamento 70 pede transferência para o 555. Era o nascer da Coeducação e mais uma vez o 555 deu um passo em frente (nesta equipe Sénior estava incluída a nossa actual Chefe da Alcateia, a Bé).

A entrada destes elementos femininos veio dar uma nova dinâmica ao Agrupamento, muito em especial ao Grupo Sénior. Foi um período de muito trabalho para todas as Secções e de grandes actividades como as Animações de Natal em Pêro Moniz e no Sardoal, esta em beneficio da Santa Casa da Misericórdia, Festa no Salão Paroquial, numerosos retiros, Acampamento Regional de Pegões, Acampamento Regional de Lobitos, Acampamento Nacional em Sesimbra, fortes participações em Jogos da Primavera, participações em trabalhos em Reservas e Parques Naturais e Variados Acampamentos de Agrupamento, não esquecendo obviamente as actividades das Secções.

Poderemos dizer que é aqui que começam os anos de ouro do Agrupamento com actividades na Comporta, Lousã, Caramulo, Pomares entre outras, participamos com grandes contingentes no regional de Rio Frio, ACANAC de Bagunte, ACANAC da Praia do Palheirão (Tocha), acampamentos regionais de Guias, e os Caminheiros e Dirigentes começam a frequentar os cursos de formação, CI, CIP, CAP, CAL, CAR.

É nesta altura que um dos nossos Séniores (o Tiago Alcobia), consegue "tirar a 1ª Classe" nas etapas de progresso, feito este que a nível nacional, poucos se conseguiam orgulhar.

Em 1989 existe mais um marco histórico com a criação por parte de 5 caminheiros da Equipe IO, com participações e dinamizações activas de varias actividade de Secções e de Agrupamento, estando presentes na montagem e desmontagem do VIIIº ACAREG em Sesimbra e com uma participação triunfante no Festival de Artes Escutistas de Tomar onde arrebatam vários primeiros lugares nos concursos que estavam em jogo nesse festival nomeadamente no Festival da Canção.

Também esta Equipa participou então num programa de rádio, aos Sábados de manhã, da Rádio Voz de Almada, dedicado ao Escutismo.

Começam igualmente a ser famosas as nossas Veladas de Armas (em particular aquando das Promessas de Dirigentes) e as nossas Promessas, assim como os já tradicionais banhos no lago por todos os que fazem Promessa e por todos aqueles que por seu turno são arrastados para este banho.

São efectuadas várias festas do Agrupamento com Exposições comemorativas, bancadas com comes e bebes, Jantares de Gala, e o jantar comemorativo dos 20 anos do Agrupamento onde foram convidados vários antigos escuteiros e antigos pais de escuteiros. Passámos a ter elementos com responsabilidades a nível de órgãos da Junta Regional.

São igualmente efectuadas grandes actividades de Secção e de Agrupamento quer em Portugal quer no estrangeiro como é o caso da Madeira (Rota do Atlântico 90, efectuada por uma equipe de Exploradores Seniores), Cadiz (por mais de uma vez), Kandersteg, Picos da Europa, Carcassonne, e a participação com um dos maiores contingentes nacionais no Acampamento Mundial do Chile.

Em 1998, pela primeira vez, tivemos um cerimonial de promessa onde ao lado da bandeira portuguesa apareceu outra bandeira (a espanhola), devido à entrada para as nossas fileiras de um elemento de outra nacionalidade (a Eva), sendo adoptada a fórmula de promessa para estrangeiros.

Outro dos nossos "momentos altos", deu-se aquando da apresentação do actual Bispo de Setúbal, o Sr. D. Gilberto Reis à nossa Paróquia, que coincidiu com a inauguração da nossa bandeira, que na altura foi pelo Sr. Bispo benzida e assinada.

Os nossos Grupos Explorador e Pioneiro, em 2002, visitaram o local onde nasceu o Escutismo, em Brownsea, local que marcou de uma forma especial cada um que lá esteve.

Em 2004 comemorámos, com pompa e circunstância, os 25 anos do nosso 555. Entre os acontecimentos do ano, destacaram-se o lançamento da nossa página na internet, um jantar comemorativo que juntou antigos escuteiros com o actual agrupamento e seus pais, a cerimónia comemorativa do 25º Aniversário, a criação de um emblema de agrupamento e as promessas cuja Velada de Armas se realizaram no Parque da Paz.


Relativamente ao lançamento da nossa página de internet, este foi um ponto alto da nossa história, pois possibilitou apresentar o nosso Agrupamento a todos quanto quisessem saber um pouco mais de nós, servindo também como meio de comunicação de actividades, partilha de recursos de formação e exibição das nossas memórias.

A nossa página voltou agora a estar online, após uma profunda restruturação, apresentando-se com um novo design.

Em Julho de 2006 foi solicitado à Câmara Municipal de Almada que o largo em frente à nossa sede passasse a ter a designação de "Largo Baden Powell", pedido que veio a ser aceite no final desse ano, sendo aprovado por unanimidade em Assembleia Municipal, culminando com o descerramento da placa com a nova toponímia, por ocasião dos festejos do nosso 28º Aniversário.

Somos neste momento 115 elementos divididos pelas quatro secções onde cada um tem um papel activo e muito importante construindo um maior e melhor Agrupamento com base no Ideal Escutista e sempre baseado num espírito forte e franco de Grupo entre todos.

O emblema do 555

A história do Emblema do nosso Agrupamento teve início com umas anilhas que foram feitas para as Promessas do ano 2001. Essas anilhas eram compostas por uma flor-de-lis em barro, com as quatro cores das Secções, distribuídas de forma singular.

Tendo surgido a ideia de criar um emblema de Agrupamento, durante o ano escutista de 2002/2003, ao fim de um tempo de reflexão sobre várias propostas apresentadas, acabou por ser escolhida esta, que é sem duvida a que reúne num pequeno pedaço de tecido todo um enorme simbolismo que nós queríamos que fizesse parte do nosso Emblema de Agrupamento.

Optou-se pelo esquema de cores adoptado naquela anilha, ficando assim o Emblema composto por uma Flor de Lis dividida em quatro, com as quatro cores das Secções, sendo que estas se encontram dispostas de modo a formar do lado esquerdo, as cores nacionais (vermelho e verde), e, do lado direito as cores da Cidade de Almada (azul e amarelo). Sobreposta na Flor-de-lis, encontra-se a Cruz de Santiago, Ordem ligada à história da nossa cidade, simbolizando também a Paróquia (de Santiago), onde se encontra sediado o nosso Agrupamento.

Chefes de Agrupamento

António Lopes

1979 - Fev.1981

José Rosário

(Zé Quim)

Fev.1981 - Mai.1982

Maximiano Tavares

(Max)

Mai.1982 - Mar.1983

Maria Eugénia Gonçalves

(Gena)

Mar.1983 - Ago.1985

Luís Leite

Set.1985 - Mar.1993

João Nunes

Mar.1993 - Set.2004

Paulo Santos

Out.2004 - ...